fbpx

Crédito rural: Produtores terão acesso somente em 2018

Prazo para reembolso do custeio pecuário, que era de um ano, será dois

crédito ruralO Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou uma série de ajustes em normas do crédito rural. Houve prorrogação no prazo para 1º de janeiro de 2018 a partir do qual os produtores ficarão impedidos de acessar esses financiamentos caso não se inscrevam no Cadastro Ambiental Rural (CAR). O prazo era de 26 de maio de 2017.

O CMN esclareceu também que o prazo para reembolso do custeio pecuário, que era de um ano, agora pode chegar a dois anos. Desde que o financiamento se destine à aquisição de animais para recria e engorda da mesma operação.

Nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste o prazo de reembolso pode ser maior, pois grande parte da criação de bovinos ou bubalinos ocorre em sistema extensivo. Essa condição vale somente quando se utilizar recursos dos fundos constitucionais, informou o Ministério da Fazenda.

Os ministros do conselho também decidiram estender o universo dos financiamentos do programa de crédito “Procaminhoneiro”, do BNDES, passíveis de renegociação. O propósito da renegociação que abrangia operações contratadas até 31 de dezembro de 2014 foi ampliado para os empréstimos feitos até 31 de dezembro de 2015.

Sobre o Crédito rural

O crédito rural é um financiamento destinado a produtores rurais e cooperativas ou associações de produtores rurais. Seu objetivo é estimular os investimentos e ajudar no custeio da produção e comercialização de produtos agropecuários

O que é:
O crédito rural é um financiamento destinado a produtores rurais e cooperativas ou associações de produtores rurais. Seu objetivo é estimular os investimentos e ajudar no custeio da produção e comercialização de produtos agropecuários.

Para conseguir o crédito, o tomador deve ser idôneo, apresentar um projeto, plano ou orçamento que justifique o valor pedido são também beneficiárias do crédito rural empresas agropecuárias de pesquisa ou produção de mudas, sementes e de sêmem para inseminação artificial, de prestação de serviços mecanizados e inseminação artificial e outras companhias com finalidade comercial no ramo da pesca, aqüicultura, medição de lavouras e atividades florestais.

Onde obter:
Nos bancos e cooperativas integrantes do Sistema Nacional de Crédito Rural.

Prazos:
Variam conforme a fonte de recursos, a finalidade e o plano de produção apresentado.

Juros e encargos:
Dependem das fonte de recursos que darão suporte ao financiamento. Para recursos controlados, relativos a aplicações obrigatórias dos bancos ao amparo da exigibilidade dos depósitos à vista, os juros estão fixados à taxa efetiva de juros de 6,75 % ao ano, de modo geral, sendo que se concedidos no âmbito do Pronaf podem variar de 1,0 % a 5,5% ao ano. Nas operações de crédito rural a alíquota de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é zero.

Garantias:
Podem ser acertadas entre o financiado e o financiador, de acordo com a natureza e o prazo do crédito. As garantias podem ser o penhor (agrícola, pecuário ou mercantil); a alienação fiduciária; a hipoteca comum ou cedular; o aval ou fiança e outras que o Conselho Monetário Nacional (CMN) permitir.

Fontes:
Correio do Estado
Pronaf
Banco Central do Brasil



Deixe uma resposta