Entidades debatem manejo madeireiro comunitário na Resex Chico Mendes

madeireiro
Manejo florestal madeireiro sustentável tem gerado renda para inúmeras famílias acreanas (Foto: Alexandre Noronha/Secom)

O manejo florestal madeireiro sustentável tem gerado renda para inúmeras famílias acreanas.

A prática, que garante a cobertura florestal da área, retém a maior parte da diversidade vegetal original e pode ter impactos pequenos sobre a fauna, se comparada à exploração não manejada.

Debater o tema e prospectar melhorias nos planos de manejo comunitário executados na Reserva Extrativista Chico Mendes (Resex-CM) foi o foco do seminário realizado na terça-feira, 1, pelo Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) e a Associação de Moradores e Produtores da Resex em Xapuri (Amoprex).

O evento, promovido na sede da comunidade Rio Branco, contou com apoio da WWF, Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), entre outros parceiros.

O seminário reuniu gestores, comunitários e membros das associações de Moradores e Produtores da Resex-CM em Xapuri, Brasileia e Assis Brasil – Amoprex, Amopreb e Amopreab.

“A lógica de uma reserva extrativista é a união da defesa das comunidades tradicionais e da natureza, e a gente só faz isso quando se tem o uso sustentável adequado e o manejo florestal proporciona isso. O governo do Estado tem apoiado muito isso, mas nós ainda temos erros que precisam ser corrigidos. Por isso, a importância de debater junto, para continuar avançando”, frisou o diretor do ICMBio, Cláudio Maretti.

Segundo o presidente da Amoprex, Tião do Moisés, o encontro foi de grande relevância para a comunidade. “Apesar da gente já trabalhar com manejo há algum tempo, há sempre algo novo para aprender. Durante o seminário pudemos expor nossas dificuldades e pensar o que queremos para o futuro da Resex”, afirmou.

Investimentos

Durante o seminário, o diretor de floresta da Sema, Marky Brito, especificou os investimentos do governo do Estado no fomento e manutenção dos planos de manejo comunitários, executados nos últimos anos.

Entre convênios, elaboração e implementação de planos operacionais a anuais e de manejos, apoio a produção, escoamento e comercialização florestal, assistência técnica, pagamentos de subsídios, construção de tanques de piscicultura, capacitações e treinamentos, o Estado investiu R$ 16 milhões na Reseva Chico Mendes.

“O governador Tião Viana sempre priorizou ações na Resex, tentando beneficiar e contemplar todos os anseios que a comunidade apresenta. Com reação ao manejo florestal, a ideia é continuar apoiando a comunidade, sempre dialogando para buscar melhorias e avanços”, destacou o secretário adjunto de Meio Ambiente, João Paulo Mastrangelo.

Fonte: Notícias do Acre

Entidades debatem manejo madeireiro comunitário na Resex Chico Mendes
5 (100%) 1 voto


Deixe uma resposta